História

September 28th, 2009 Filed under: Uncategorized by admin

A génese das Brigadas Revolucionárias deve ser enquadrada na seguinte conjuntura histórica:

– A guerra colonial iniciada em 1961.

– Os grandes movimentos estudantis de 1962 em todo o país e em 1968 em Coimbra.

– A morte política de Salazar em 1968 e a sua morte física em 1970.

– O ano de 1968 com revoltas ao nível internacional – revolta e repressão do Partido Comunista checoslovaco, revoltas estudantis e juvenis por todo o mundo, de Paris ao México.

– Falsas eleições para a Assembleia Nacional em Outubro de 1969. Criação das Comissões Democráticas Eleitorais (CDE). Repressão. Fim das “ilusões” do período Marcelista.

É nesta conjuntura que alguns militantes do PCP colocam nesse partido a questão da luta armada para o derrube do regime. Essas e outras discordâncias levam à ruptura com o Partido Comunista no ano de 1970 e criação das Brigadas Revolucionárias na base da seguinte orientação:

– Ruptura com o estalinismo

– Proposta da luta armada

– Proposta de revolução socialista como objectivo

Tendo realizado a primeira acção a 7 de Novembro de 1971, as BR enquanto organização armada são acompanhadas pela formação paralela de núcleos de acção ao nível das lutas dos trabalhadores, dos sindicatos, das organizações católicas. Este conjunto de organizações clandestinas viria a dar nascimento ao PRP-BR. Após a primeira acção o documento “Contribuição para um movimento revolucionário organizado dos trabalhares portugueses” em Dezembro de 1971, definiu o posicionamento político das BR (Documentos do Partido Revolucionário de Proletariado Brigadas Revolucionárias, Edições Revolução, Lisboa, 1974).

Seguiram-se as acções das BR que vieram até 1974 (consultar em Acções das Brigadas Revolucionárias).

Em 25 de Abril de 1974 as BR declararam abandonar a luta armada e integram-se na luta de massas em liberdade.

Ratazana

assalto_AV

(Jornal A Capital, 26 de Maio de 1973)

Leave a Reply